quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

BEM-AVENTURADA É A NACÃO CUJO DEUS É O SENHOR

BEM-AVENTURADA É A NACÃO CUJO DEUS É O SENHOR

TEXTO ÁUREO

“Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, e o povo que Ele escolheu para sua herança”. Sl 33.12.

VERDADE PRÁTICA

Uma nação que obedece ao Senhor torna-se a cada dia um povo próspero, forte e virtuoso, não lhe faltando jamais à proteção e as graças divinas.

LEITURA EM CLASSE - Sl 144.9-15.

INTRODUÇÃO

A Igreja do Senhor Jesus reconhece que a vida- neste planeta Terra tem-se tornado insuportável. O grande anelo do coração do Rei é que logo venha a tocar a trombeta do Senhor, “a última trombeta”, e se ouça o alarido e a voz de arcanjo anunciando o arrebatamento da Eleita do Senhor.

A razão de tal expectativa decorre não somente do fato de amarmos profundamente o Senhor que morreu por nós, mas também porque a presença do pecado no mundo tem eliminado todo o prazer de nele viver. As nações abandonaram o caminho do bem, os governantes se têm esquecido de Deus, a sociedade se tem corrompido extremamente, as famílias não desfrutam de paz e cada indivíduo padece de males espirituais crônicos.

A lição desta semana nos aponta o caminho para um mundo melhor. À volta ‘para Deus seria a chave da felicidade, não apenas para os indivíduos em particular, mas para cada nação como um todo. Tenhamos em mente as palavras do texto-áureo:
“Bem- aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor”.

O que tem acontecido é de fato estarrecedor. Países como a Albânia se tem convertido em “Estado Ateu”, outros têm instituído o materialismo dialético como inspiração suprema de suas leis. Por toda a parte o nome de Deus tem sido ultrajado. Mas nem tudo está perdido, amados! Temos a Bíblia Sagrada conosco e temos a fé inabalável em nosso Senhor Jesus Cristo. Proclamemos a Cristo e Ele se tornará conhecido!

I.                   DEUS AMA A TODO O MUNDO

A Bíblia Sagrada define a Deus com estas magistrais palavras:
DEUS É AMOR, I Jo 4.16. Amor é a essência mesmo da natureza pessoal de Deus.
Por tal motivo, esse amor que é inerente à Pessoa do Criador se espalha tão benevolentemente por sobre a criatura, mesmo a criatura rebelde, como é o caso da raça humana.

1. Ele ama a cada criatura. O coração de Deus está sempre cheio de compaixão, abundante de misericórdia, rico de amor. Por isso, Ele não deseja que um só homem se perca, mas “que todos os homens se salvem e venham ao conhecimento da verdade”,
I Tm 2.4.
Como irrefutável prova desse tão sublime amor, Deus, através de Seu Filho, tem ordenado que se pregue o Evangelho a cada criatura, Mc 16.15, porque o Evangelho de Cristo é “o poder de Deus para salvação de TODO AQUELE que crê”, Rm 1.16.

O homem tem rejeitado a oferta salvadora de Deus, Jo 1.11, mas Deus tem uma provisão para todos os homens e em todo o lugar, desde que se arrependam, At 17.30 e se convertam de seus pecados, At 3.19.

Outra maneira de considerar o apreço de Deus pela criatura humana, de per si, reside na menção bíblica de que “há alegria diante dos anjos de Deus por UM pecador que se arrepende”, Lc 15.10.

2. Ele ama a todas as famílias. A família é uma instituição divina, Gn 2.21-24;
Mt 19.1-6. Anterior ao Estado e à Igreja, a família surgiu no mundo sob o cuidado e a atenção do Criador, e com propósitos mui nobres, tais como:

a) unidade, Gn 2.23,24; Ef 5.25-32;
b) colaboração mútua, Gn 2.20h; Pv 31.10,11 e c) perpetuação da espécie humana, Gn 1.22; 3.16.

c. Quando Deus destruiu o mundo antigo através das águas do dilúvio, Ele preservou UMA FAMÍLIA, Gn 7.1; Hb 11.7.

b. Ao estabelecer a páscoa entre os israelitas, Deus ordenou a Moisés:
“Cada um sacrifique um cordeiro, um - cordeiro POR CASA (família), Êx 12.3.

c. No dia em que os muros de Jericó ruíram sob o toque das trombetas, Raabe e sua FAMILIA foram preservadas, por Deus, tendo por sinal o fio de escarlata na janela,
Js 2.19-21; 6.23-24.

d. Quando o carcereiro da cidade de Filipos, prestes a suicidar-se, perguntou a Paulo e Silas qual poderia ser sua derradeira oportunidade a fim de obter salvação, a resposta foi: “Crê, no Senhor Jesus Cristo, e serás salvo tu e a TUA CASA”. At 16.31

II.                A BÍBLIA E AS NAÇÕES

Não somente o individuo e a família merecem a atenção da Escritura, mas também as nações que este mundo, como poderemos ver a seguir.

1. A origem das nações. A Bíblia menciona pela primeira vez a palavra nação em
Gn 10.5 ao referir-se aos descendentes de Noé. O estudante da Bíblia deve verificar a conexão existente entre a origem das nações e os filhos de Jafé e entre os filhos de Cão e a construção da Torre de Babel. Ao todo a Palavra de Deus menciona a palavra nação nada menos de 469 vezes.

2. As características de uma nação. Os conceitos bíblicos de uma nação, à luz de Gênesis 10, são os seguintes:

a. Cada nação tem uma cabeça, v10.
b. Cada nação tem sua própria terra v 5

c. Cada nação tem sua forma peculiar de comunicação e sua língua, v.20.
d. Cada nação e um conjunto autônomo de famílias ou tribos, v. 20,31.

3. Os pecados das nações. A Bíblia registra a ira de Deus sobre muitas nações Tal manifestação do furor de Deus esta sempre relacionada com a abundância do pecado entre as referidas nações.

Registremos alguns pecados mais freqüentemente apontados no livro santo:

a. Idolatria, Dt 12.30; 29.16-18; Js 23.7; II Rs 17.29; Sl 135.15.
b. Sujeição a Satanás, Is 14.12; 20.3,8.

c. Abominações, Dt 18.9-14.
d. Leis iníquas, II Rs 17.7,8.

e. Injustiça, Pv 14.34.
f. Comportamento hostil para Israel Sl 79 1-7

Este último pecado será o padrão de julgamento para o grande dia, após a vinda em glória do Senhor Jesus, em que as nações se ajuntarão para o solene “julgamento das nações”, Me 25.

4. Segredos para a grandeza de uma nação. À medida que a civilização absorve as surpreendentes realizações da ciência da tecnologia e das modernas filosofias, tem-se a impressão muitas vezes de que os postulados bíblicos carecem de atualidade e deixam a desejar se os queremos aplicar à sociedade contemporânea. Não é assim, todavia, O que Deus estabeleceu como princípio moral e espiritual há milênios, permanece inalterável. Deus não está sujeito às mutações do tempo

Deus conhece tudo e não se sujeita a qualquer tipo de restrição. Mais que Senhor do tempo Ele é o Pai da Eternidade Is 9. 6

Como poderiam as nações do Século XX ser prósperas? Como poderia a sociedade de nossos dias viver em paz? Como poderiam as famílias da atualidade sentir uma experiência de abundante tranqüilidade, serenidade e sucesso espiritual?  Ainda que o mundo sobreviva milênios, a resposta será sempre a mesma: voltando-se para Deus e para Sua Palavra, o supremo código moral e espiritual do Universo.

Vejamos algumas sugestões bíblicas para a prosperidade das nações:

a. Seu comportamento espiritual, Nm 24.20; Dt 8.20; 9.5. Para Deus o principal não e a tecnologia o avanço cientifico a cultura ou a riqueza. O principal para Deus e o temor.

Este temor precisa estar presente na consciência de cada um, mas também nas leis que regem a todos os cidadãos. Não havendo temor, não havendo um comportamento espiritual condigno, debalde serão todos os esforços para tornar uma nação realmente grande. Ainda que venha a ser como o Egito, como Babilônia ou como a Pérsia, perecerão, porque o seu dia certamente chegará.

b. O reconhecimento do senhorio de Deus, Sl 33.12. A vaidade dos homens,a ambição crônica de sua natureza o espanto de lisonja que a todos domina, tem feito com que os governantes deste mundo se pareçam e ajam como deuses. Mas a nação feliz é a que reconhece que o Senhor é Deus. Tem sido feito um grande esforço ultimamente para se apagar das moedas americanas a inscrição EM DEUS CONFIAMOS (In God we trust).

Não espanta a grandeza de uma nação que confessa até em sua moeda corrente que sua confiança está em Deus.

c. A intercessão do povo de Deus, Gn 17.20. A igreja de cada país deve orar por esse país.

Ao invés de os crentes se tomarem partidários de posições políticas extremadas, ao invés de o povo de Deus se unir às massas que agridem os governantes, ele deve colocar-se como um povo que intercede diante de Deus, como um “sacerdócio real”,
I Pe 2.9. Este é o único caminho para a grandeza de uma nação.

d. O vigor espiritual da juventude, Gn 18.18,19; Sl 144.12. Temos dado a devida atenção ao que se faz nas escolas e universidades contra a Bíblia? Esta é uma guerra satânica.

Se a juventude perde sua fé na Palavra de Deus, ela se entregará fatalmente ao pecado, Sl 119.11. Se a juventude de uma nação for dominada pelo vício, pelas drogas, pelo ateísmo, que esperança resta para tal nação? Voltemos ao Senhor e peçamos-lhe que faça de cada jovem da Igreja um Timóteo, para Sua honra e glória, II Tm 1.5.

e. A conversão do povo, Jr 18.7,8. Uma nação é a soma de seu próprio povo. Se os valores morais esposados por cada família de uma nação se fundamentar na Palavra de Deus, sem dúvida que será uma nação forte moral e espiritualmente. E com a bênção de Deus está toda sorte de’ prosperidade para qualquer povo ou nação deste mundo.

f. Seu comportamento espiritual para com Israel, Gn 12.3. A história moderna nos aponta algumas nações que passaram rapidamente do fausto e do esplendor para o caos e o esquecimento. Por quê? Por causa de sua oposição a Israel. Peçamos a Deus no sentido de que o Brasil continue, através de seus governantes, a defender a causa de Israel, para que a bênção de Abraão não se aparte de nossas tendas. Assim seja.

III.             DEUS E AS NAÇÕES

Que mais nos tem a dizer a Bíblia a respeito das nações? Espaço houvesse, muito mais teríamos a comentar. Limitar-nos-emos, todavia, a algumas considerações finais.

1. Deus é o Criador, o Possuidor e o Sustentador da Terra, Gn 1.1; Hb 1.10; 11.3.
2. Deus está acima das nações e reina sobre elas, Sl 47.8; 113.4.

3. Deus vigia as nações, Sl 66.7.

4. Deus julga as nações, conforme a Sua própria justiça,
Sl 7.8; 9.5; 67.4; Is 2.4; 34.1,2.

5. As nações são como nada diante de Deus, Is 40.15,17.
6. Ele é o rei das nações, Jr 10.7; Ml 1.14.

7. Ele “tem uma contenda com as nações”, Jr 25.31.

8. Ele tem ordenado que as nações de todo o mundo sejam incluídas no plano missionário, para serem alcançadas por Sua Palavra e venha um dia a pertencer ao Seu maravilhoso reino, Sl 2.8; 67.2; 108.3; 96.3,10; Mt 28.19; Lc 24.47; Ap 7.9.

Deus nos ajude a sermos intercessores por um mundo em ruínas, para que a misericórdia de Deus, que nunca falha, encontre eco por parte das nações e que estas se voltem para Deus, a ponto de podermos testificar que “a terra se enche do conhecimento do Senhor, como as águas cobrem o mar”. Assim seja.


Elaboração pelo:- Evangelista Isaias Silva de Jesus
Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério Belém Em Dourados – MS
Lições bíblicas CPAD 1981


Um comentário:

  1. Feliz é a nação cujo Deus é o Senhor

    Ivone Boechat (autora)


    A felicidade de qualquer nação depende, fundamentalmente, do reconhecimento da soberania de Deus e a influência que Ele passa a exercer sobre as pessoas, sobre as famílias e todas as instituições. Quando se buscam deuses falsos ou quando não se cultua a nenhum deus, quando a Palavra de Deus e as suas Leis não têm lugar de adoração e destaque na vida da sociedade, ela perece entregue aos vícios, à depressão, à infelicidade. Uma nação se constrói no alicerce da fé. Cada cidadão bem orientado, com uma base sólida de educação, vai ajoelhar-se, aos pés de Cristo, buscando a comunhão com Deus. Porque “Os céus manifestam a glória de Deus, e o firmamento anuncia a obra de suas mãos” Sl 19:1. Ninguém é insensível à majestade divina, quando lhe apontam para a grandeza do Seu poder.
    Feliz é a nação que “instrui ao menino no caminho em que deve andar” Pv 22:6.
    Feliz é a nação, onde a juventude “Lembra-se do Seu criador nos dias da sua mocidade. Ec.12:1.
    Feliz é a nação, onde os “príncipes ensinam aos anciãos a sabedoria…” Sl 105:22.
    Feliz é a nação que atende aos profetas de Deus, pois suas palavras são “…como uma candeia que alumia em lugar escuro, até que o dia amanheça e a estrela da alva surja em vossos corações” II Pe 1:19.
    Feliz é o cidadão que reclina sua fronte nas sagradas escrituras, porque “seca-se a erva e murcha a flor, mas a palavra de nosso Deus subsiste eternamente” Is 40:8.
    Feliz é o homem que “anda pelo caminho da retidão, no meio das veredas da justiça” Pv.8:20.

    A humanidade clama pela presença do Deus vivo, fiel, justo, capaz de transformar as tristezas desta civilização decadente numa geração eleita, confiante.

    Cada família pode se apresentar como agência do bem, responsável por seus filhos, vigilantes da paz.
    O homem foi criado para viver feliz, serenamente, entre as flores do imenso jardim do Universo – único verso divino, ritmado na cadência de vozes angelicais e nas bênçãos que o Pai das luzes derrama sobre seus filhos.
    Feliz é a nação que se esforça para caminhar debaixo da potente mão do Senhor e reconhecer que, desde a antiguidade, “O povo que andava em trevas viu uma grande luz; e sobre os que habitavam na terra de profunda escuridão resplandeceu a luz”. Is 9:2.

    http://jornalgospelnews.com.br/2010/09/28/feliz-e-a-nacao-cujo-deus-e-o-senhor/

    ResponderExcluir